fotos históricas mirandopolis sp

domingo, 29 de abril de 2012

Familia Resler - desbravadores do sertão de Mirandópolis/sp

História da família Resler – Chegada em Mirandópolis/SP.   
CHEGADA DA FAMILIA RESLER NO BRASIL 1826 da Alemanha.
O 19º embarque foi efetuado pelo navio Friedrich, capitaneado por Hans C. Stille e tendo como comandante do transporte o Ten. Julius Mansfeld. O embarque dos passageiros foi em 23.5.1826, mas a partida deu-se em 1.6.1826 no porto de Bremen, chegando ao Rio de Janeiro no dia 4.8.1826. Trazia 238 pessoas, sendo 152 soldados com 5 esposas e 2 crianças, além de 18 colonos com 11 esposas e 44 crianças.

O transatlântico Friedrich deixaria no porto do Rio de Janeiro, as seguintes famílias, que posteriormente chegariam a São Leopoldo:
Dietz, Engel, Ewald, Gebert, Gitter, Hiller, Kern, Kümmel, Löwe, Meyer, Orth, Raupp, Reinhardt, Ressler, Schildt, Schmidt, Schröder, Seidler e Weber.

Um dos filhos da Familia Resler veio para a Região da Araraquarense, onde existia muitas plantações de café, sendo meeiros das fazendas sendo ele; José Resler filho de imigrantes casou-se com Maria Avanço natural de Vicenza, Italia que  chegou ao Brasil com dois anos de idade, tiveram os filhos Armando, Arlindo, Alcindo e Miguel e as filhas Josefina, Luiza, onde trabalharam  nos cafezais na  região de Araras- onde Armando Resler nasceu no ano 1912. Em Severinia/sp cidade que Miguel Resler nasceu no ano de 1924. Sempre com o intuito de desbravar o sertão vieram para a região de Água Limpa, Município de Araçatuba, conseguiram umas economias monetárias resolveram a entrar mais pelo sertão, comprando  umas terras de matas virgens e efetuaram as derrubadas, num loteamento novo no inicio da dec. de 30, próximo as terras da familia do Dr. Osvaldo Brandi Faria. Depois da segunda guerra mundial, começou a chamar-se Bairro  Mont Serrat, uma região próximo aos patrimônios de Machado de Mello e comandante Arbues onde hoje é o Município de Mirandópolis/SP. Lá formaram uma fazenda de 200 mil pés de café e os jovens irmãos possuíam tropas de burros onde retiravam da mata virgem toras de madeira e transportava para as serrarias que na época existiam muitas para serem produzidos dormentes, que utilizavam na construção da Ferrovia, que rasgavam o sertão em direção do estado de Mato Grosso.
                                                                                                                     
Devido as matas virgens os irmãos contraíram a malária. Na década de 40, depois da segunda grande guerra (46/47) José Resler vendeu a fazenda e comprou várias propriedades mais próximas ao patrimônio que se chamava São João da Saudade, depois Mirandópolis. Uma das propriedades a chácara Bela Vista de 27 alqueires, situada na entrada da cidade, adquirida do Sr Alcino N. de Sylos, que foi prefeito da cidade. Formaram cafezais e criação de gado leiteiro. Armando casou-se com Tereza Trevisan e  Miguel casou-se, com Maria Bocutti, filha de Galabrezes (Italianos) no ano de 1945 na capela de tábua do patrimônio. Quando a família se instalou na “cidade” onde o crescimento era espantoso, tinha-se a necessidade de construções voltadas para a comunidade onde eles ajudavam em muitas delas com doações de café e gado,  tais como hospital, posto de saúde, escolas e por fim na grandiosa Igreja Matriz São João Batista , edificada pelo padre Epifaneo Ebañes ( Espanhol), um patrimônio histórico da cidade .
Nota:- A irmã Josefina Resler Milock, em 1947 morava em uma casa de tábua, próxima a maquina do Wada, e no dia que ocorreu a famosa explosão do vagão do trem, sua casa com o impacto , ela quase caiu, ficou torta, e por milagre não caiu e ninguém ficou ferido.
No meio da dec. de 50 o patriarca José e sua mulher Maria faleceram, onde foram divididas as propriedades aos irmãos e a chácara Bela Vista e outra propriedade no trevo das Alianças, ficou de posse dos irmãos Armando e Miguel, que continuaram residindo nela enquanto a cidade crescia em torno da mesma. No inicio dos anos 60, separou-se a sociedade e cada um tomou seu destino. Ficando assim a chácara de posse ao mais velho dos irmãos, o Armando, que ainda tirava leite e fornecia para os moradores da cidade. No inicio do ano de 1980, Armando vendeu-a para a família do Dr. Jorge Maluly Neto, que devido ao crescimento da cidade, ele loteou e colocou o nome de Bairro Santa Rosa, que permanece até hoje. Neste mesmo ano Armando (1980) veio a falecer. O irmão Miguel fez uma casa na entrada da chácara e comprou outra propriedade no município, depois no ano de 1970 adquiriu uma simples padaria de forno da lenha, na saída da cidade na rua nove de Julho, saída para Lavinia-Sp.,
                                                                                                                         
ao lado do antigo                                                                                                                          Almoxarifado Municipal, que batizou com o nome de Panificadora Nossa Senhora Aparecida, sendo que foi vendida no ano de 1980. Miguel veio a falecer no ano de 1990. A familia Resler estão residindo e desbravando ainda em muitas regiões do Brasil, sendo que a saga deu-se inicio praticamente na cidade de Mirandópolis/SP, onde eles ajudaram a construir essa bela cidade.

direita para esquera:- Miguel Resler, filha Cleuza, esposa Maria, filho Oswaldo, sobrinho Veronildo Selone, sobrinha Palmira, filho Jose, cunhada Tereza Trevisam, sobrinho José Neto, irmão Armando Resler.
No ano de 1956, com o trem de ferro "maria fumaça"embarcaram na estação de Mirandópolis à São Paulo capital, chegaram e hospedaram no hotel da Luz - ao lado da estação do mesmo nome e pernoitaram para o dia seguinte ir em viagem à Aparecida do Norte, na noite meu tio Armando foi assaltado e devido isso quase retornaram para Mirandópolis, mas sobrou o dinheiro de meu pai que seguiram viagem para Aparecida. O roteiro dessa viagem era na volta conhecer a praia, iam a Santos mas devido o assalto na cidade de São Paulo, voltaram  de Aparecida  para Mirandópolis. Essa viagem foi em agradecimento das coisas boas que eram realizadas na chacara Bela Vista, eram 27 alqueiras de terra e maioria era cafezais onde diveram boa colheita e compraram mais terras no trevo das alianças cidade 50 alqueires.

Meu pai Miguel Resler com minha mãe Maria Bocutti, Cleusa, Oswaldo(dinho) e José (biba)- em frente da basilica velha - cidade Aparecida do Norte.

Casa que meu pai construiu no ano de 1957 - entrada da chacara bela vista, ficava aos fundos, o perimetro da cidade era minha casa, daí em diante era sitio dos Resler( conhecido por Rosa, devido a familia Rosa que era nossos parentes da cidade e que era facil de falar o sobrenome). A casa era estilo da cidade da época.

primeiro da esquerda (parente nome não sei), José Fava - tinha um armazem na cidade, compadre de meu pai (meu padrinho) Augusto Rebelato e meu pai Miguel Resler

Meu pai Miguel Resler - nas pastagens da chcara Bela Vista, ao fundo a cidade

dec 50
O carro pertencia meu tio Antonio Celone casado com uma tia irma de meu pai -o carro um  Studebaker - taxista na cidade, Miguel Resler, sobrinho Olivio Menezes (pintor foi que fez a primeira pintura na igreja Matriz S.J.Batista.) e irmão de meu pai Arlindo Resler.- estão na rua João Domingos de Souza, ao fundo a Casa Santa Gloria.

dec 60
Meu tio Armando Resler - no curral da Chacara Bela vista, todo de arrueira.

dec 50 ( 1954)
Na chacara bela vista - meus primos Veronildo, Zuque, eu no colo, meu irmão Biba (jose´) e primo Antenor.

casamento de meu pai Miguel Resler - e Maria B. Resler - 1945 - na capela da cidade.

Meu tio Alcindo Resler e Luiza
antes de 1945

José Resler(biba) eu (dinho) e Cleusa- irmã - 1953

1947-1950
Minha avó Italiana Maria Avanço, meu Tio Armando Resler e esposa Tereza- na chacara bela vista.
A chacara fornecia leite para a cidade, tinha rebanho leiteiro.



primeira comunhão Oswaldo Resler

minha mãe Maria Bocutti e seu irmão incio de dec 30

minha mãe Maria
Bocutti Resler - eu ( dinho) 1954

Retrato Pintado - minha mãe Maria Bocutti Resler

formatura de 1 comunhão de minha irmã Cleusa Resler. em frente da Igreja Matriz S. João Bastista. final dec 50

Um comentário:

  1. Historia linda, foram um dos desbravadores do sertão de Mirandópolis/sp.

    ResponderExcluir